A Arte É Você

Manchinha e Quadro

Na arte você nunca está só e nunca está incompleto. A arte, seja a música, a pintura, o desenho ou escrita, sempre te completa. A arte te entende e às vezes mais do que você mesmo. Uma música inspiradora, um quadro que aparece nos seus sonhos, um texto que ecoa as palavras da sua alma.

Por isso eu gosto de escrever. Aqui eu sou completo. Aqui eu sou o que quero ser. Mas mais do que isso, aqui eu sou aquilo que realmente sou e posso voar tão leve quanto em um dos meus mais belos sonhos.

Poderia a vida ser assim? Eu não sei. Mas quando escrevo, ela é.

Descansar Não é Perda de Tempo

Uma lição muito importante que aprendi é que se você está sem inspiração ou procurando alguma resposta, o tempo que você gasta com lazer ou dormindo não é tempo perdido.

Muitas vezes a solução para algum problema vem quando você está distraído, com a cabeça leve, pensando em outra coisa. Com a inspiração é a mesma coisa. Às vezes aquele estágio pré-sono, quando não estamos mais completamente lúcidos, pode dar ideias muito boas. Os sonhos também têm um alto grau de importância, não só no sentido de reorganizar as ideias e servirem de válvula de escape, como também de poderem ser o próprio esboço de uma resposta.

Todas boas ideias que tive vieram de momentos em que eu estava com a cabeça leve. Penso que só assim consigo ouvir a mim e até mesmo a Deus.

O Ponto de Virada

Um dos grandes questionamentos da minha vida é tentar descobrir quem eu sou. Na adolescência e no começo da vida adulta isso era menos importante. Estava seguindo, vivendo a vida e descobrindo as coisas sem muita pressa. Durante todos esses anos, em tudo que fiz, sempre houve a dúvida se eu estava seguindo o caminho certo, o caminho que me levaria a ser o homem que sempre quis ser. Ironicamente eu nunca soube como era esse homem, mas sabia – e sei – que vou saber como é quando chegar lá.

Essa jornada que me trouxe até aqui e que me fez sentar novamente na frente do computador para escrever, mais uma vez, sobre exatamente as mesmas dúvidas que eu tenho desde sempre, construiu o que eu sou. Apesar disso, eu não sei o que sou e o que foi construído!

Para tentar me entender, vejo tudo que eu fiz na vida e lembro com muito afeto da primeira versão do Abacate Doce, lá em 2001. Tratava-se de um site sobre “coisas que eu gostava”, com enfoque em informática. Era para ser “meu cantinho”, “meu reduto”. Conforme os anos se passaram e eventos foram acontecendo, fui me moldando, tirando textos do ar e mudando o site até que, por fim, sobrou o que você pode ver hoje: um simples blog com alguns textos recentes.

É um dos grandes arrependimentos que tenho. Deveria ter continuado. Só que se eu não tivesse feito isso, não seria quem eu sou hoje, não teria feito outras coisas e construído este Ser Atual. Então concluo que tudo foi como deveria ser e não como eu acho que deveria ter sido.

Agora, para de hoje em diante, reunindo tudo que aprendi, construí e acrescentei ao meu Ser, pergunto a Deus, alguém que tanto critiquei e questionei no passado: qual o próximo passo que o Senhor quer que eu siga? A resposta já está dada e está no homem que quero ser.

Em Busca Da Verdade

Dizem que a vida é difícil. Dizem que a vida pode ser fácil. Dizem que a vida é bela. Dizem que a vida é feia. Eles dizem. Todos dizem. Todo mundo tem a resposta para todos os problemas da sua vida. Falsos profetas, falsos gurus, falsos mestres. Às vezes, é bem verdade, em um ato de generosidade, as pessoas dizem aquilo que funcionou para elas tentando te ajudar. Eu faço isso. Afinal, se funcionou para mim algo que me trouxe respostas, pode funcionar para você também.

Mas qual a verdadeira resposta? Eu digo a VERDADEIRA resposta? Qual a VERDADE? Qual a última e única resposta para tudo? Cada pessoa tem uma percepção. Cada pessoa tem uma história e uma capacidade que a faz conseguir ver um pedaço do todo. Mas volto a perguntar: qual a VERDADE? O incontestável, o inquestionável, o motivo pelo qual todos estamos aqui, porque tudo acontece como acontece e o destino final.

É uma busca incessante por uma resposta que não vem. Filósofos milhares de anos antes de mim tentaram achar essas respostas. Religiões dizem tê-la.

Mas onde está A Resposta que te deixará atônito, imóvel, que te fará sentir cada átomo do seu corpo vibrar em realização por tê-la descoberto?

Acredito que algumas pessoas a tenham encontrado, mas como é algo muito profundo e inexplicável, mantém para si.

Releio textos meus de anos atrás, da adolescência, e neles já vejo essa busca. Não achei nada até hoje. Algumas respostas menores, algumas dicas, mas nada que trouxesse a paz que procuro.

Confesso que às vezes cansa.

Mas continuarei nessa busca.

Olhando Para o Sol

Parece que o Senhor não permitirá que eu saia da sombra em que estou enquanto não fizer aquilo que te pedi antes de reencarnar. Dá-me esporadicamente um vislumbre do que posso ter se o caminho que quero eu seguir. Da escuridão fria da noite de inverno, o Senhor me permite abrir os olhos e olhar diretamente para o Sol mais quente de verão, sentindo a luz ofuscante e o calor intenso.

Percebo que essa luz magnífica só é percebida quando me aproximo do Senhor. E isso ocorre sempre que penso no caminho que juntos traçamos. Aliás, no caminho que eu tracei e o Senhor me permitiu seguir.

Olhando Para o Sol

Deu-me todas as ferramentas necessárias. Comprimiu-me até eu sentir a dor da necessidade de libertação. Sussurrou em meu ouvido e por vezes gritou. Deixou-me mergulhar na escuridão que eu quis. Despenquei. E por vezes, junto comigo o Senhor chorou.

Pedir o perdão ao Senhor não é necessário, pois o Senhor já me perdoou. O que preciso é agradecer pela oportunidade e por me deixar abraçar o fogo do amor, fundindo-me com aquilo que de fato eu sou.

Renasço. Escolho o dia de hoje. Escolho o dezenove. Escolho o caminho da luz.

Sou escritor e as almas aquecerei, assim como o Senhor comigo fez desde sempre, faz hoje e para sempre fará.