Vocês São Idiotas?

As pessoas possuem várias faces que cercam um mesmo núcleo composto por seus princípios, bases morais, vivências e ideologias. Por isso você se comporta de uma maneira diante de seus avós e de outra diante de seus amigos. Quem se comporta sempre da mesma forma, independente da situação ou das pessoas envolvidas, provavelmente seja completamente louco. 

Na minha cabeça isso é óbvio desde a crise de identidade da adolescência e me surpreendeu muito descobrir que não é algo tão evidente assim às pessoas. 

Como hábito, costumo usar muitas hipérboles e figuras de linguagem em geral. Acho legal, faz parte do meu ser. Eu também as entendo quando alguém utiliza. Tinha um colega bastante divertido na faculdade que as utilizava bastante e era engraçado. Ele costumava dizer, em relação aos demais estudantes: “só tem retardado aqui, ninguém sabe nada, absolutamente nada”. 

Caralhos, é óbvio que isso não era para ser levado no sentido literal e que se tratava apenas de uma figura de linguagem, para dizer que, no geral, ele achava que havia uma quantidade grande de alunos totalmente perdidos e com pouco conhecimento. Mas fica muito mais engraçado e fácil de dizer “só tem retardado e ninguém sabe nada” do que “percebo que há um grande número de pessoas desprovidas de grande inteligência e conhecimentos mais profundos acerca do objeto de estudo deste curso de graduação”. Assim como eu digo que “todo mundo é retardado” é mais espirituoso do que dizer: “Há estudos que indicam níveis altíssimos de analfabetismo funcional e redução do QI médio da população brasileira. Atrelados a isso, pode-se observar nas redes sociais o baixíssimo nível da qualidade do conteúdo publicado e uma grande dificuldade de compreensão de temas mais complexos, o que pode sugerir que a média intelectual da população não seja tão elevada. Por fim, observo também a baixa qualidade de serviços prestados por diversos profissionais, não só no resultado final como também em suas metodologias que falham quando são confrontadas com estudos científicos e conhecimentos comprovados de outras áreas, tais como química, física e matemática”. Não. É mais fácil dizer “todo mundo é retardado”. 

Eu amo esses exageros linguísticos. “Todo mundo é retardado”, “melão pele-de-sapo é a melhor fruta que já comi na minha vida”, “mouse óptico é uma das maiores invenções da história da humanidade”, “deveria haver uma espécie de CNH para as pessoas poderem postar coisas na Internet” e assim por diante. Não quero e não gosto de me expressar sem meus exageros. 

Conheço uma pessoa muito inteligente, engraçada, com várias histórias e um jeito peculiar de se expressar. Tem vários assuntos e é bastante hiperativa, talvez até demais, mas quem sou eu para julgar? Era colega de trabalho dessa pessoa e certa vez, por alguma comemoração da empresa, ela levou um filho para o trabalho. Colegas retardados se surpreenderam que ela tratava o filho com bastante carinho e tranquilidade e não da forma hiperativa e “maluca” com que ela se portava conosco. Essa gente é sociopata? Eles pensam que ela ia chegar para o filho e falar alguma das bobagens que ele falava para nós? É evidente que em cada situação e com cada pessoa ela vai se comportar de uma maneira diferente. Todo mundo é assim. Ou vocês acham que o João Gordo, quando casou, ficou bêbado, chapado e arrotou na cara do padre? 

Eis então que volto a mim e percebo que as pessoas têm de mim uma percepção distorcida baseada somente na superficialidade da forma como eu me comporto com elas, às vezes em particular, além de levarem no sentido literal minhas hipérboles. 

É frustrante. 

Não sei como me comportar nesse mundo de vocês e ser eu mesmo. Quero que vocês se fodam.