A Tempestade Censurada

Acabei de escrever um texto chamado “A Tempestade Interior”, que reflete bem como me sinto, que conversa com Deus, que grita por ajuda. Gostei bastante do texto pois acho que consegui resumir em poucas palavras tudo o que sinto e também, de certa forma, aceitar o meu destino.

Mas, como publiquei ontem, quem se importa?

Quem eu gostaria que se importasse, não é nem capaz de fingir se importar há anos e quem realmente se importa sequer veio a este mundo.

 

Quem liga?

Eu tenho centenas de coisas a dizer. Quase todos os dias ou eu escrevo alguma coisa ou eu penso em algo que gostaria de dizer, porém não tenho mais publicado nada, pois dá muito trabalho maquiar o que realmente quero dizer. Criar histórias, cenários e presepadas em geral para não deixar totalmente explícito o que estou pensando é desgastante.

E o ponto também nem é esse trabalho, pois é até divertido em certos aspectos. O ponto é que ninguém se importa.

Mentira. Minha psicóloga se importa durante 45 minutos, enquanto eu conseguir pagá-la.