Meu Nome

Mudei meu mundo por você.
Por amor, por compaixão, por amizade.
Dei minha vida pelo sonho, parceria e união.

Abri meu coração, derramei minhas lágrimas
Sangrei meu trabalho.
Você se afastou.
Você me afastou.

Esconde-se!
Por de trás do véu do orgulho,
para nunca pedir desculpas
Nunca ver quem eu sou.

Diga o meu nome.
Diga quem eu sou.
Não sou a Fonte que você há muito não tem.
Diga o que eu sou.
Não sou o fim, sou o caminho a ele
Diga meu nome
Não sou o final, sou o prólogo

Não peço palavras de gratidão, pois as palavras eu já domino.
Não peço dinheiro, pois ele logo vai.
Não peço o que não pode.
Não peço um escravo.

Peço uma companhia.
Peço alguém que queira voar comigo aos mais altos céus, nas noites estreladas, nas manhãs chuvosas, nas tardes ensolaradas, no frio do outono e no calor da primavera.

Diga meu nome.
Diga quem sou.
Caminhe ao meu lado, esteja comigo, não apenas me transforme em uma necessidade.

Um dia eu irei e sem mim você caminhará. A culpa e a saudade lhe consumirão e você sempre soube que poderia ter evitado.

Não é pelo meu nome.
Não é pela solidão.
Mas adiante, eu caminharei.

Não é uma ameaça,
é a Lei do Universo.

Diga meu nome.
Diga uma vez, mas não ache que é o suficiente.
Reconheça quem eu sou, mas não julgue que tudo resolveu.

Caminhe ao meu lado, mas não espere que eu reduza o passo.
Talvez seja tarde demais e não importe mais quem eu sou.
Talvez o destino já esteja selado e sua dor será maior.

Eu tentei.

Ao menos, quando eu me for, diga-me “adeus”.

E meu nome.

Orgulho

Nunca foi muito claro para mim o que acontecia com você, até que vi as pedras molhadas. O mesmo orgulho que te impediu de procurar A Fonte poderá ser aquele que me afastará definitivamente de você. Percebe? Acho que você nunca percebeu. Não posso te culpar, pois o véu que que te cega para o mundo é o mesmo que não te permite ver o espelho.

A Fonte machucou, mas daquela água você bebeu e para não querer se sujar com a lama empoçada às margens da Fonte, esperou que o curso do rio desviasse até você.

Ele nunca desviou.

Acreditou ser mais forte, mais puro, mais evoluído, porém jamais teve a humildade de deixar esse orgulho para lá e andar descalço.

Afasta-me lentamente.

Você se afasta de mim, iludido por uma teimosia e apego a uma imagem fantasiosa.

Espero que acorde enquanto eu esteja aqui, para que não seja tarde demais e seu coração sofrido não tenha que carregar mais uma culpa pelo resto da sua vida e além.