Malucos Sem Faixa

É engraçado como nas férias do karatê eu comecei a perceber alguns ensinamentos latentes das aulas do sansei, não necessariamente relacionados à luta em si. Por exemplo, o grau de exigência que ele tem com os faixas preta é diferente do grau de exigência que ele tem com nós, faixas “coloridas”. Isso pode parecer a coisa mais óbvia do mundo, mas tente perceber o que está por trás disso: ele não nos desmotiva por não conseguirmos executar o golpe com a perfeição de um faixa preta e ele exige de nós até onde ele sabe que conseguimos chegar no momento, para no futuro termos a possibilidade de chegar até a faixa preta. Algum movimento que era aceitável antes, agora ele já cobra que corrijamos conforme vamos avançando nos treinos. Se ele tivesse exigido lá nas primeiras aulas, quando eu era só um maluco sem kimono, o que ele exige hoje, eu teria desistido e achado totalmente impossível ter chegado até onde consegui chegar.

E aí eu pergunto: o mundo é assim em relação a nós ou exige que sejamos sempre faixas preta?

Quando começamos um projeto qualquer, quantos desgraçados vêm tentar nos desmotivar e quantos vêm incentivar?

Acho que o mundo é composto de malucos sem kimono e empatia.