De Onde Você Veio

De onde você veio? É uma pergunta simples com respostas variadas. Pode-se dizer a cidade, pode-se descrever a família. Mas quero saber além disso. Quero saber o que te transformou nisso que você é hoje. Quero saber a jornada que você percorreu, saber tudo que desceu por esse rio até formar esse ser que hoje me lê.

Todas suas experiências de vida. As vitórias, as derrotas. As decepções, as alegrias. O prazer de cada momento ou a angústia desesperada por um final. Você é complexo. Você é um Universo em transformação cujo exato momento de sua criação, aquele instante em que você acordou e disse “eu existo” não pode ser apontado com exatidão. Então sua grandiosidade já começou a partir do momento que sua consciência passou a existir, assim como sua semelhança com o Universo. O momento do primeiro despertar, onde nem você mesmo sabe dizer quando foi exatamente ou como era antes. O seu big-bang.

Qual sua memória mais antiga? E qual sua primeira memória feliz? E sua primeira memória triste? E todas suas memórias ao longo da vida?

Você navegou muito até chegar até aqui e todo esse rio por onde você desceu é valioso. É único e te trouxe até aqui. Só há você desse jeito. Só você percorreu todo esse trajeto. Só você conhece suas cicatrizes e os vaga-lumes que precisou seguir como a única luz que você tinha.

E você não surgiu a partir do momento que ganhou consciência. Você veio surgindo ao longo de milhares de anos.

cânion
Isso não surgiu do dia pra noite. Isso não surgiu por um ato único.

Não é autoajuda. É uma observação sobre algo que nos une: rios por onde navegamos.

E esses rios não são só nossos. São da história. São daquele sujeito olhando as estrelas 5000 A.C. que escreveu uma ideia que perdurou por milênios; São daquele sujeito peculiar que levou uma maçã na cabeça embaixo da árvore e entendeu tudo; São daquela que se sacrificou pelo que acreditava; São daquele que morreu na cruz; São daquele sentado sobre a lótus; São do anônimo que conduziu bem o ônibus com dezenas de outros anônimos. São de tudo e todos.

Se hoje você me lê, é graças a outros que construíram a história da humanidade e a história de nossas vidas, para podermos nos encontrar nesse momento, nessa época, através desse texto. E esse texto é atemporal. Você pode estar lendo ele décadas depois de eu ter deixado este mundo, se encontrando comigo pelas minhas palavras. Graças aos que me sucederam.

Por isso, deixo aqui minha gratidão eterna a todas as pessoas que ao longo de toda história tentaram contribuir para um mundo melhor fazendo bem o seu trabalho, seja ele qual for. Todas essas pessoas que indiretamente ou diretamente, permitiram que eu estivesse aqui, hoje, nesse momento, descendo por esse rio e tornando-me único.

Que nossos Universos brilhem e nos engrandeçam em nome do passado, para criar um presente forte e um futuro glorioso a todos aqueles que nos sucederem.

20161228_173544
Obrigado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s